sábado, 16 de janeiro de 2016

Um pouco mais

Hoje é o primeiro dos dias que deixo de ser aquela moça que todos conheciam.
Quem eu era? Menos do que sou hoje. Não ganhei na loteria (e é provável que eu jamais ganharei), pulei poucas vezes, corri pouco também, não perdir o medo de quebrar os ossos. 

Minha coragem mudou do ponto A ao ponto B, numa estrada que o percurso é ziguezagueando entre os medos dos outros, as coragens absurdas de pequenos insanos, de gente louca feito eu e de extraordinários zumbis.

Sei que não é interessante dizer que mudei. Por que todos mudam. Querendo ou não. Mas o óbvio nesse momento veste-se de nostalgia; meu retorno pra ser exato. Voltei a conversar com meus bichinhos esquisitos nesse enorme de grande Mundo. 

Escrever.  

Quero voltar pro lado do avesso, porque  eu cresci demais. E adultos também se divertem com miudezas ou Graciosas Miudezas. 

[Aquele amor de sempre... Roubei algo dele. Do lado real.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário