sábado, 10 de janeiro de 2015

E a noite foi embora

Aquele homem que segue suas ideias nenhum pingo tradicionais, mora longe agora. Não somos mais os mesmos. Carrego no corpo todas as marcas das lutas que enfrentei por mim e pelos outros. Ele também. Aliás, todo mundo. Ele parece feliz. Os seus gritos já não saem pela boca. Explodem dentro e saindo numa dança desengonçada. Um homem alto magro e de muitas vantagens.

Não deu certo porque ele é gay. Ele rebola muito. Todos percebem. Não que eu queria disfarces. O amor por ele cresceu, amadureceu. E vai ficar aqui no peito. Não foi cheio de glória, mas foi louvável.

E do fim, desejo o começo.

Minha noite foi...

Nenhum comentário:

Postar um comentário