sábado, 5 de julho de 2014

Fragmentos do meu pequeno mundo




Eu sempre andei carregando a coragem nas costas como se ela pudesse sair da mochila a qualquer hora pra encontrar as guerras que valem a pena lutar. Não era peso que carregava, ela mantinha-me no chão. 

Saudade daquela criatura espetacular que vestia púrpura pra arrasar na balada sem querer maquiar as tristezas da alma. Sempre lindo, até com os olhos caídos do seu universo preto e branco.

Eu podia carregar dois metros de felicidade no coração sem alcance de mãos traiçoeiras. 

Não interessa a roupa ou os quilos que teria de perder para impressioná-lo,  alma que deixei há três... 

Ele só quer mergulhar... Meu mundo.

E a coragem, ela ficará guardada para quando ele precisar de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário