segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Carro branco

Eu não sei o que seria de mim sem teu amor. Sua diligência em me procurar, seu silêncio de quem não quer revelar a música que toca dentro de ti; me conquistou. O branco de seu carro a música chata que curti de repente ficaram tão minhas. Estão aqui dentro várias partes de ti - também tenho uma canção que corre solta aqui dentro. Seu nome gelado, opaco e grande não funciona aqui nessas páginas é como se quisessem violar meus direitos autorais a partir destes escritos. Minha jóia, meu precioso.

O meu calar é teu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário