quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

O que não pára de crescer...






Eu sei que não quer mais uma história, essas minhas, de: Desbravadora, arqueira, de heroína, de mocinha brava, de mulher cara-de-pau. Esse ar de garoto impossível, que nunca saiu de perto da mãe, engolindo cada palavra de bem querer; teus gritos apertam meu coração de tão silenciosa a tua expressão. Você não me pede mais do que duas horas, não converte nada, é tudo natural, disfarça, mas é nítido. Eu não estou aqui pra dizer que descobri você. Não mesmo. Eu só quero te dizer que: É bom ter te conhecido e eu não quero que acabe, aqui dentro e dentro de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário