terça-feira, 6 de novembro de 2012

Princípio da Rotatividade III


Olhe através de mim e não me veja. Raimundo Neto





Assim com os dedos... passa pelas coisas pra senti-las, alguma nova sensação pois é tão ciente de tudo que a procrastinação tende a matá-lo um pouco mais do que qualquer risco iminente.

Solto um pouco confuso, confiável.

Enfim... O Princípio da Rotatividade, o único foco são pessoas e não necessariamente quem são ou o que sentem.

Todas elas tem algo novo a oferecer e ele deixa seu corpo receber as informações que abastecem largos espaços a fim de serem utilizados na ocasião certa. Espécie de 'sistema', ficam os que acrescentam, os que são parte do sistema (família ou outros mais), os de conveniência, amigos, colegas.

A saída para tais pessoas, no que me parece um bom motivo, são as que não evoluem, são cóleras, pessoas que possuem um gênio indomável, até porque no mercado não querem pessoas assim. 

Todas em pelo menos um dia ou outro serão encontrados próximos de você.

Ele simplesmente exclui pessoas, as que atrapalham seu bem estar mental ou físico. Seu alarme é o calor vital, um desconforto sem freio.

Não vejo maldade nele. Respeita até o desastre alheio de uma maneira doce sem arranhar seu corpo com preocupação. Em uma de suas experiências notou que tem pessoas que precisam provarem do pior pra serem melhores, que outras não sabem serem ajudadas, alguns são um verdadeiros parasitas entram na sua vida e se instalam por meses. 

Aprendeu a respeitar a si mesmo sem feri ninguém. A dar calor sem queimaduras.

Algum estranho disse:  Eu tenho pena de ti - colorido de mediocridade. E ele vagarosamente se vestiu de criança sapeca e deu uma risada alta, fazendo aquilo tudo fugir das linhas de preocupação ao esquecimento, sem mágoas ou qualquer desequilíbrio que fosse notado. E aquela pessoa saiu sem o mínimo de noção do que mudou nela.




Nenhum comentário:

Postar um comentário