sábado, 6 de outubro de 2012

Não grite.


Não me preocupo mais em explicar e explicar, não me deram muitas explicações, pois bem, não sinto falta delas. Sei que, o que tenho de saber permanecerá claro a mim sempre. As aflições que tive me elevaram. E todas as verdades chegarão logo.
E, quando batem na minha porta intacta... Voltam de onde vieram... E estou certa de que os tornei melhores do que antes, assim como me sinto agora.

Não me julgue por ser direta, sincera e um tanto grossa. Não consigo ser melhor sendo outra. Apenas elimino o que pode ser atraso, tanto a mim e a ti.

Não sou má de mantê-lo preso a mim mesmo que o elo seja apenas um dia da semana ou apenas todas as manhãs. Que seja livre. Não tenho esse tipo de vaidade ou dependência.

Pareço possível, mas sou um caso contestável. Eu acho. Ah! Não quero explicar.

Se meu estado é de solidão apaixonante. Ignore. E me deixe quieta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário