quarta-feira, 6 de julho de 2011

Era noite vestida de céu azul

Eu, Hérica e Débora.


Não queria sair. Não foi de mim que saiu àquela vontade de me arrumar e ver desconhecidos misturados com uma alegria escura e estrelada. Estava alí, com aquele calor humano que passava por mim, desses de muita gente, que passava por alí, outra vez aculá. Mas num momento, alguém cheio de leveza e sem malícia no olhar, perguntou: Por que você está aqui? Meus olhos fitos agora perguntam: Onde ele está?

2 comentários: