segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Parecia estar numa nova era

Um céu sem chuva, num azul predominante, de mar aberto, sem pássaros e nem gente. Apenas um garoto de mente sã brincando de pipa. Rebeca Fontinele

A FARSA


Comecei a dar início, no que em mim era um tormento e transformei em fantasia numa doce realidade continental do lado avesso.
Tudo que em mim faltava e angústias existentes; coloquei de lado.  Assim inventei cidades, ruas inabitáveis, pessoas impossíveis, bichinhos por entre as pernas que até então adormecidos.
Então inventei o amor, as dores, as brigas, o abandono e a terceira pessoa imprevisível que mora em mim.
Passei a explorar a cada dia em suas minúcias. Olhei atenciosa a vida, me sentei e gozei de um ar fresco, que chamo de Vontade, que logo me vem a palavra Persistência, e por último Conquista, sem esquecer o Suor e Medo.
Mas essa ironia me transbordava, não ficou mais suficiente, essa Ironia passou a existir, passou a crescer forte e intenso. Foi onde eu parei de inventar, temendo estar louca.

O CONFRONTO


Passei a criar obstáculos, passei a não ouvir mais e indagava sempre, para por fim no que poderia ser sempre pra amanhã.
Eu sei do que eu quero, minha opção é não recuar.
No momento eu preciso saber se meu bem querer se mantém vivo. Porque estou viva. E agora mais do que nunca estou preparada pra viver.
Eu quase pifei, nas minhas tentativas sem sucesso. Fugi do que até então era minha melhor forma de vida. Me privei até escorrer sangue dos meus olhos. Agora não vou mais fazer isso. Insano seria barrar o que já existe. Agora só falta achar um lugar pra isso.
E lugar é o que não falta.

Um comentário:

  1. parabéns cada dia mais eu admiro este blog é claro só podia ser Rebecka Fontinele ass Juraci cruz

    ResponderExcluir