quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Vivido e aclamado!


A invenção que conheceu de mim, só aflora, não consigo montar momentos, simplesmente saem naturalmente. Estou sempre a tua espera pra citar algo meu, seu - nosso. Fico atenta na tua respiração que revela tua vontade de estar sempre aqui, fazendo essa mágica parecer surreal, feito desenho animado.

O frio começa do coração e logo o sorriso se desprende  internamente e silencioso pra fora, causando movimentos involuntários dos meus braços ao nariz ou mãos na cabeça ou ainda mordidinhas nos dedos da mão, caçando ar, explicações, razões para existirem tais coisas.

Queria ser mutante ou super-heroína, só pra materializar, tocar, toda vez que eu quiser te sentir, pra não sentir dores de tua ausência. Meu coração não me pertence, cresceu e cheio de sangue ou com líquido salgado dos olhos, brilhoso e gordo. Pouco sangue resta no corpo. Por isso que aqui dentro fica gelado.

Tudo que eu fiz até hoje foi procurar você. Excelente é a forma do início. Começou no ônibus, com um olhar e um abraço que mais parecia um nunca mais. Que eu nunca poderia ter aquele instante, você.  Quando desci do ônibus jurei que era mesmo nunca mais. Mas você veio, Elivelton que surpresa boa! Não tenho dúvidas, sumiram os pesadelos. Não ouso deixar você, porque eu quero continuar desse jeito, apesar de odiar a ideia de fica em suas mãos, quase decidindo a minha vida com qualquer rumo que você tome.

Agora posso mergulhar dentro de ti? Posso me instalar de vez? Prometo que não me esqueço do guarda-chuva pra me proteger de suas tempestades; do protetor solar ao combate dos raios impiedosos da vida; da minha desordem emocional, prometo atualizar meu sistema sempre, pra não danificar planos: planos seus, planos meus, planos nossos; e sobre minhas facilidades de entrega rápida e mobilização, o pacote é garantido, serão todos os dias, nos livrando da rotina.

Seu eu sou um pouco, eu me sinto muito ao teu lado. Se pareço fraca, medrosa e invisível eu sou pop do teu lado. Se me transformo em objeto posso ser violeta, roxo ou lilás e fresco.  E que não seja reciclável. Espelho?! Pode ser? Para que nos momentos importantes você me olhe, podendo mudar qualquer fim de tarde ou até mesmo pra ir na padaria.

Eu sou mais! Um mulherão! Você me deixa transbordante. Quase me dando o mal da arrogância e egoísmo de promoção, sempre perto do limite, você sabe estar na medida certa pra me alcançar. Você me compreende e me afeta, bem ou mal, não me faz mal. Conseguiu decifrar meus mistérios e o quê está em torno de mim.

Moço você é do tipo que está demasiadamente longe, louco, esperto, fácil e forte! E que me completa, aliás, você supera os limites normais. Meu incidente perfeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário