quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Sem pressa


Afago by: Rebeca Fontinele

Promete que vai me receber, na sua casa? Diz pra eu voltar.
Assisti filme, mexer nas coisas do seu irmão. Bagunçar seu quarto!?
Me arranja lá seu irmão, é que lembrei agora. 
Dormi muito tarde falando de tudo, de tudo mesmo.
Liga não. Vem!
Como é que está sendo seu dia? E a  noite vai fazer o quê?
Quando vier traga sua câmera que eu peço pra gravarem a gente dançando pop ou funk se quiser.
Não traga muita roupa, não. Traz só a escova que aqui tem tudo.
Se sentir alguma coisa, qualquer dor ou vontade me informe! Não esconda nada. Por que eu quero estar presente na sua vida.
Quando quiser menti, que seja para os outros, me revele tudo sorrindo ou zombando, chorando, tanto faz.
Eu moro no seu coração, aliás, bem mais fundo. Porque sinto o que sente. 
Eu penso em você, me preocupo, porque acho que quero você. Juntinho dos outros que fiz dizer: Amém!
Consegui ver também. Olhe, atravez do espelho, tem sua raiva de não ter o que ainda não conseguiu, mas vai. Acredito em ti.
O tempo pode ser rápido, fique sem pressa, eu vou te buscar. Quando quiser venha, não tenho outros planos.
Espere, que o amanhã dirá: Oi! Não deixe formar aglomerações, não articule muito, porque sou de casa, mas me abrace forte.
Porque estou aqui. Estou do seu avesso, do lado vermelho - dentro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário